PORQUE BOLSONARO NÃO CONSEGUIRÁ ACABAR NEM COM OS SINDICATOS, NEM COM O ATIVISMO NO BRASIL.
Compartilhe nas redes sociais
  •  
  •  
  •  
  •  

Bolsonaro quer acabar com os sindicatos, e para isso acha que o caminho é tentar esmagar a sua capacidade financeira.

A MP 873, que estabelece o pagamento de boleto bancário como o único meio possível de pagamento das mensalidades sindicais tem evidentemente, potencial para atrapalhar bastante. Mas nesse pequeno texto, vamos refletir sobre o que essa medida revela sobre nosso presidente e sua visão de mundo.

Para ilustrar o que virá depois, trago à tona a carta de direito de resposta de Brizola à TV Globo, de 15 de março de 1994. O então âncora do Jornal Nacional Cid Moreira foi obrigado a lê-la com indisfarçada empáfia. Em um de seus trechos, após desmascarar falsas acusações que a emissora lhe fizera de favorecimento financeiro, arrematou:

“é compreensível, quem sempre viveu de concessões e favores do poder público, não é capaz de ver nos outros, senão os vícios que carrega em si mesmo”

Muito comumente o que se critica no adversário (ou inimigo, no caso de Bolsonaro) é precisamente o que se tem em mais alto conceito e importância. A Rede Globo, que sempre viu dinheiro acima de tudo, é também aquela que mais faz acusações (falsas) de enriquecimento ilícito dos outros (e tudo para não investigar a si mesma).

Também Bolsonaro que nesse momento tenta a qualquer custo aprovar uma reforma da previdência que pode deixar fora da aposentadoria 80% dos trabalhadores, que morrerão antes, se aposentou aos 33 anos como militar e ainda acumula aposentadoria de deputado.

Logo ele que quer privatizar tudo e atacar de todas as formas os servidores públicos a quem chama de privilegiados sempre se sustentou de dinheiro público em toda a sua vida, ele seus filhos e demais parentes. Neste momento, seu salário se aproxima dos 70 mil mensais. Logo ele que acusou o Estado Cubano de escravidão por ficar com parte dos salários do Mais Médicos, faz tudo para acobertar e defender seu filho e a si mesmo dos desvios dos salários de seus assessores parlamentares, apropriação que chegava a 99%.

Agora, Bolsonaro acha que vai acabar com os sindicatos porque acha que vai deixa-los sem dinheiro algum.

Isso só revela quem é Bolsonaro, e que também não mudou nada, é apenas aquele mesmo militar corrupto que, segundo um relatório do próprio exército “deu mostras de imaturidade ao ser atraído por empreendimento (ilegal) de ‘garimpo de ouro’ (…) deu demonstrações de excessiva ambição em realizar-se financeira e economicamente”.

O dinheiro é importante, mas Bolsonaro acha que é fundamental.

Não sabe Bolsonaro que os atuais sindicatos, conquistaram seu espaço sem dinheiro algum, muitos deles existindo à margem de qualquer regulamentação legal ou desconto em folha (e nem boleto bancário) durante a ditadura militar que ele tanto admira.

Bolsonaro não conseguirá acabar com os sindicatos, simplesmente porque ele não os entende. A opção pela militância está acima da sua estatura moral, além da sua compreensão e capacidade intelectual.

O que nos faz militantes, presidente, é vontade de um mundo ao avesso do que o senhor vê, acredita e no qual planeja se dar bem. Quando o senhor defende o desmatamento, por exemplo, e reclama do ativismo ambiental, pensa que ambientalistas e agronegócio só querem o mesmo dinheiro e toma partido pelo lado que acha melhor para sua excelência. Quando o senhor dificulta o desconto da mensalidade sindical, pensa que os sindicalistas são simplesmente burocratas interessados em dinheiro e mais dinheiro da sua categoria e não que são movidos por convicções. E o senhor pensa assim por uma razão simples: não tem convicções, e logo não as compreende.

Não nos julgue, presidente, pelo que é.

Não consegue nos ver, porque está olhando para si mesmo.

Não pense que nos destrói simplemente pretendendo nos tirar o que para você é o fundamental.

Somos o que você não entende,

Nossa militância é feita da energia que move os guerreiros à batalha,

Essa doação nos define;

Por isso desista de procurar nossas pegadas, não temos os pés no chão.

Nunca vai acabar com a insatisfação com todas as formas de injustiça, nunca obrigará ninguém a gostar do seu governo,

E nem conseguirá deter a busca, às vezes difusa, em outros momentos intensa por um outro devir, e esse é o seu maior problema…

Nós somos essa luta!


Compartilhe nas redes sociais
  •  
  •  
  •  
  •  

Leave a Reply

Your email address will not be published.